Bem Informado

Claudia Raia revela ter sofrido abuso: Entrei em desespero e agredi o delinquente na cabeça

Claudia Raia revela ter sofrido abuso: Entrei em desespero e agredi o delinquente na cabeça
Jacicleide Fonte: www.otvfoco.com.br

Neste domingo (10) a talentosa atriz Claudia Raia contou detalhes em uma entrevista ao jornal O Globo a respeito de um assédio que sofreu quando tinha apenas 13 anos. Após tantos anos desse ocorrido Claúdia que resolveu desabafar sobre o momento de desespero, relatou cada detalhes asquerosos do crime, que foi praticado por um bailarino.

Quando eu tinha apenas 13 anos, fui estudar balé em Nova York e fiquei hospedada na casa de um bailarino amigo da minha mãe. Um dia, ele sentou ao meu lado e começou a conversar, colocou a mão na minha perna, e daqui a pouco a mão veio subindo, subindo… Imediatamente olhei para o lado para ver o que me cercava, o que eu poderia usar para me defender, recorda.

Claudia ainda disse como conseguiu escapar das mãos do delinquente que aterrorizava sua inocência. Quando ele veio com mais força, peguei a primeira coisa que alcancei, uma coruja de cristal, e pow! na cabeça dele. Não seria diferente porque fui criada para jamais abaixar a cabeça para nada. Felizmente, só passei por isso uma vez na vida, soltou.

Ainda nessa entrevista, a atriz expressou o que a motivou a desenvolver um canal adulto indicado a mulheres no YouTube. Tive a ideia do canal para mulheres de 50 porque sonhava em ter um programa para conversar com as pessoas. A apresentadora madura, que tem glamour, é engraçada e boa praça foi embora com a Hebe. Fiquei com vontade de ser essa pessoa, ponderou.

No nosso país, a mulher perece quando faz 40 anos e só renasce aos 80, 90, quando vira a velhinha fofa. A mulher do meio não existe, nem na publicidade nem na casa das pessoas. Mas ela é muito potente: os filhos estão criados e a carreira, estabelecida. Em razão disso, não é bem vista num país machista. Essa roupa não é para você, cabelo longo com essa idade?, continuou Claudia.

Ela acredita nesse discurso. Com a maturidade, percebi isso na pele. Mas não aceitei. Sou como um trator, passo por cima das pessoas. Mas a maioria das mulheres não é assim. Eu sou porque fui criada por mulheres — meu pai morreu quando eu tinha 4 anos e ficamos eu, minha avó, minha mãe e minha irmã, quatro mulheres poderosas de calças compridas, encerrou a atriz.

você esta offline

:: COMPARTILHAR ::

 

 

 

:: Cadastrar Meu WhatsApp ::

Receba nossas notícias em seu WhatsApp

 

:: Política de privacidade ::